OpenStreetMap

wille's diary

Recent diary entries

Nova camada de ruas do IBGE para Salvador

Posted by wille on 16 November 2017 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Salvador é uma cidade bem difícil de se mapear. A cidade cresceu desordenadamente, com uma quantidade imensa de morros, favelas, ruas estreitas, becos, vielas... Além disso, o relevo é muito acidentado e faltam dados públicos.

A camada "IBGE - Mapa de Setores Urbanos" ajudava a obter nomes de ruas em alguns locais, porém o alinhamento tá bem ruim em muitos locais e faltam muitos nomes de ruas.

exemplo camada

Assim, há alguns dias eu criei uma camada com nomes de ruas da cidade de Salvador/BA, utilizando como fonte o dataset de Faces de Logradouro do IBGE. Essa camada não é perfeita (já percebi alguns erros de traçado de ruas e muitos nomes duplicados), porém, no geral, tem uma qualidade bem superior à antiga camada.

Esse recurso já está disponível no index de camadas do iD e JOSM. Veja onde você encontra a camada no iD:

ativar no iD

Quero expandir a camada para Lauro de Freitas e talvez alguns outros municípios da Região Metropolitana de Salvador. Caso alguém queira ter esse recurso para alguma outra cidade cuja camada de Setores Urbanos do IBGE está com má qualidade, me avise que posso fazer.

Em breve, pretendo publicar o código fonte que usei para tratar os dados e enviá-los para o Mapbox Studio.

Location: Barra, Salvador, Microrregião de Salvador, Região Metropolitana de Salvador, Mesorregião do Recôncavo baiano, Bahia, Região Nordeste, 40140241, Brasil

Encontro OSM + Mapillary Brasília - Novembro/2017

Posted by wille on 9 November 2017 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Desafio Complete the Map Brasília

No próximo domingo, 12 de Novembro, realizaremos mais um encontro da comunidade OpenStreetMap Brasília! Agora reuniremos também colaboradores do Mapillary, já que foi lançado o Desafio Complete the Map Brasília.

Nos encontraremos na Torteria di Lorenza, da CLS 302, na Asa Sul. Nos encontraremos a partir das 15:30. A proposta é tomarmos um café, conversarmos sobre OpenStreetMap e sairmos de carro pela cidade para fazer fotos pro Mapillary. Dependendo no número de pessoas, podemos fazer um grupo para fazer fotos caminhando ou de bicicleta.

Quem tiver interesse em participar, nos avise deixando um comentário aqui ou entrando em nosso grupo no Telegram.

​​Introducing OSMCha API

Posted by wille on 12 October 2017 in English (English)

Recently we released the new version of OSMCha, an application to help the OpenStreetMap community to review the changesets in the map. In this new version, the frontend was rewritten, we changed the backend to serve the data as a REST API and we have added some new interesting features. Let’s talk about some of the new possibilities that came in with these changes.

The REST API allowed us to build a faster and more efficient frontend and it opened up avenues for other applications being able to use OSMCha data. Yes, It’s now possible to build a JOSM plugin to update the status of a changeset or a feature in OSM. The API documentation to make this happen can be found here → https://osmcha.mapbox.com/api-docs/

The main API endpoint is the /api/v1/changesets/ as it allows us to get changesets. It accepts many filters and one ordering parameters. We also have some sub-urls, like /api/v1/changesets/checked/, /api/v1/changesets/unchecked/, /api/v1/changesets/suspect/, etc. That makes it easy to filter the changesets by some boolean fields and accepts filters parameters too.

Filters & Areas of Interest (AoI)

The new version of OSMCha comes with many additional options of fields to filter changesets that weren’t present in the previous version. Almost all filter options are available in the frontend, but you can also check the API docs to verify if you can benefit from some special API capability. One resource that is not still unavailable in the frontend is the possibility to filter changesets by using any geometry type you want, not just limiting to a bbox.

Furthermore, now you can set a filter query and save it as an Area of Interest (AoI), that way you won’t need to set the query parameters again, all you need is to access your AoI URL. Each AoI also has a GeoRSS feed that you can use to be notified for the new edits. You can also easily share your AoIs with other users by sending them the URL.

To save an Area of Interest, make a POST request to its endpoint with the name you want to give to your AoI and the filter parameters, which are the same that we use to query the changesets. The API also supports saving an Area of Interest with any geometry type you want.

Statistics

Do you need stats about an AoI, a user or about a changeset query? We provide it with some endpoints: /api/v1/stats/ gives us stats about the changesets (total number, quantity of harmful, checked and quantity by suspicion reason and by tag). This endpoints supports the filter params. We have the same stats to an Area of interest in /api/v1/aoi/{id}/stats/ and finally the stats of a user in /api/v1/user-stats/{uid}/.

Protection rules and documentation

The API has a throttling mechanism that limits the number of requests by user by minute to avoid our database of being misused. There are some endpoints, like the ones that add and remove suspicion reasons, that were made to help with administrative issues like fix a wrong detection and whose access is restricted to the admin users.

So checkout the documentation and use OSMCha to monitor your areas of edits! If you have some suggestion, feedback or ideas, post a comment or open an issue in github. It will be great to have new insights from the OSM community!

Encontro OSM Brasília - Agosto/2017

Posted by wille on 8 August 2017 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

osm cake

Vamos realizar mais um encontro da comunidade OpenStreetMap Brasília! Dessa vez, uma edição especial no dia do Aniversário do OSM.

O ponto de encontro será no Vó Ía Café & Empório, localizado na quadra CLSW 301, bloco C, no Sudoeste. Estaremos lá no domingo (13 de agosto) a partir das 16h para tomar um café, conversar sobre OpenStreetMap e mapear as redondezas.

Quem tiver alguma dúvida, deixe um comentário ou entre em contato conosco em nosso grupo no Telegram.

Location: Setor Residencial Interno 1, Sudoeste / Octogonal, Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno, Distrito Federal, Região Centro-Oeste, 70673-402, Brasil

OSM no OpenDataDay Brasília 2017

Posted by wille on 1 March 2017 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

OpenDataDay

No próximo sábado, 4 de Março, tem OpenDataDay em Brasília! O evento será realizado no Edifício Parque Cidade Corporate, das 14 às 18h. A comunidade OpenStreetMap estará lá para mapear, ensinar quem estiver a fim de aprender e trabalhar em alguns dados públicos que podemos importar no OSM.

O OpenDataDay ocorre anualmente em diversas cidades do mundo. Participei no evento em Brasília no ano de 2015 e foi bem interessante. Será uma ótima oportunidade de nos divertimos e levarmos o OpenStreetMap ao conhecimento de mais pessoas.

Para participar do evento em Brasília, é necessário colocar o nome na lista para ter permissão de entrada no prédio, para isso, acesse: https://pad.okfn.org/p/opendataday2017Brasilia

Data: 4 de Março, 14-18h.

Local: MinC - SCS, Qd. 9, Ed. Parque Cidade Corporate, Torre B 12º andar - auditório

Melhorando o OSMCHA

Posted by wille on 20 February 2017 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Este mês eu voltei a trabalhar no desenvolvimento do OSMCHA, um projeto que eu havia iniciado em meados de 2015 com o objetivo de ajudar a detectar edições potencialmente danosas no OpenStreetMap.

A minha motivação ao criar o OSMCHA foi a necessidade que eu sentia de ter uma ferramenta melhor para monitorar as edições que aconteciam no OSM. Era comum eu olhar as estatísticas de quantidade de nós criados, deletados e modificados a cada dia no Brasil e ver alguns picos, com uma quantidade anormal de dados sendo adicionados ou apagados em um dia. Isso me deixava curioso para saber onde esses dados foram inseridos... Houve uma importação? Caso sim, qual a origem dos dados? Alguém deletou dados inadvertidamente?

Além disso, volta e meia encontrávamos edições que diziam claramente no comentário que a origem dos dados foi o google maps ou outra fonte inapropriada. Apesar de a informação estar explícita no changeset, muitas vezes só descobríamos isso depois de muito tempo...

Como é praticamente impossível revisar todas as edições, pensei em criar uma ferramenta que apontasse os changesets com maior potencial de criar danos ao mapa e que analisasse os metadados em busca de palavras suspeitas.

Após a apresentação que fiz no SotM Latam 2015 em Santiago do Chile, a equipe de dados da Mapbox se interessou pelo OSMCHA e passou a utilizá-lo em seu dia a dia. Além disso, a equipe da Mapbox desenvolveu muitos novos recursos e agora estou muito feliz em anunciar que a Mapbox está patrocinando meu trabalho nos próximos meses para melhorar o OSMCHA.

Nas últimas duas semanas, nós melhoramos a documentação, escrevemos mais testes, limpamos o código para descartar algumas partes que não estamos utilizando e preparamos o software para receber as melhorias que estamos planejando.

A principal mudança que teremos no OSMCHA será a interface: em vez de a homepage mostrar uma lista de changesets, iremos apresentá-los diretamente sobre um mapa. Temos também algumas ideias para facilitar o monitoramento de áreas de interesse de cada usuário e ferramentas de notificação, tornar a análise mais inteligente, entre outras. Porém, sobretudo, queremos escutar sugestões da comunidade OSM, para que possamos criar algo ainda mais valoroso para vocês. Caso você ainda não tenha utilizado o OSMCHA, teste-o em http://osmcha.mapbox.com/. Deixe seus comentários aqui ou abra um ticket no Github.

Outros posts sobre o OSMCHA:

Improving OSMCHA

Posted by wille on 20 February 2017 in English (English)

This month I came back to work on development of OSMCHA, a project that I started in the middle of 2015, with the aim of helping to detect potentially harmful OpenStreetMap edits.

My motivation to start OSMCHA was that I felt that we needed a better tool to monitor changes made to OSM data. Looking at statistics of how many nodes were created, modified and deleted in a day in Brazil, it was common to see some peaks in the number of created or deleted nodes. This made me curious to know - where are those changes... Has an import been made? What is the source of the data? Has someone deleted an entire town?

Furthermore, sometimes we discovered changesets that explicitly said that the data came from Google Maps or some other inappropriate source. Despite that information being expressed in the changeset metadata, it was common for those edits to remain in the OSM database for months or years without anybody seeing them.

As it is impossible for the community to review all edits, my idea was to create a tool to point the changesets that potentially can damage the map and to analyse the metadata searching for suspect words.

I showed OSMCHA for the first time in the SotM Latam 2015, in Santiago, Chile. The Mapbox data team became interested and started using it. Moreover, they developed some new features and now I'm very excited to announce that Mapbox is sponsoring my work in the next few months to improve OSMCHA.

In the last two weeks we enhanced documentation, lifted test coverage, cleaned up the code and prepared the code-base to receive the updates we are planning. The main move we are planning to OSMCHA is to rebuild the interface and make it map-based (instead of showing the changesets on a list, we want to exhibit it over a map). We have some ideas to make it easier for users to review the edits in their area of interest, have some notification features and improve the analysis of changesets, among others...

Nevertheless, we want to listen the suggestions of the OSM community to build something better. If you have never used OSMCHA, try it on http://osmcha.mapbox.com. You can post your feedback and ideas here or open an issue on our github repository.

Finally, I would like to thank Mapbox for the support, specially Sanjay Bhangar, who since the beginning was excited about OSMCHA and believed in the potential of the project!

Read other posts about OSMCHA:

Encontro OSM Brasília - Janeiro / 2017

Posted by wille on 24 January 2017 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

placa

A comunidade OpenStreetMap de Brasília vai se reunir pela primeira vez em 2017! Dessa vez, iremos à região do Jardim Botânico. O ponto de encontro será a padaria Doce Pão, no próximo domingo (29/01) às 16h.

Vamos mapear os pontos de interesse da região, bater um papo e fazer um lanche. Se você nunca mapeou, será uma ótima oportunidade de aprender. Usaremos diversas técnicas como anotações em papel, fotos e aplicativos de celular. Se você já mapeia, vai poder conhecer outros mapeadores e ter um ótimo momento de integração à comunidade.

Também temos um grupo no telegram da comunidade OSM brasiliense: https://t.me/osmbsb.

Location: SMDB Conjunto 21, Lago Sul, Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno, Distrito Federal, Região Centro-Oeste, 70297-400, Brasil

Vídeos e fotos do State of the Map Latam 2016

Posted by wille on 16 December 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

foto sotm latam

Quem não participou do State of the Map Latam 2016, já pode conferir os vídeos de todas as palestras realizadas no auditório principal do evento. A playlist com 20 vídeos está disponível no YouTube. Tivemos palestras em Inglês, Espanhol e Português.

Temos também várias fotos já publicadas no Flickr.

Almoço OSM Brasília - Setembro/2016

Posted by wille on 28 September 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Almoço OSM BSB

Em Brasília, aproveitamos todas as oportunidades para nos reunirmos e batermos um papo sobre o OSM. Dessa vez, recebemos a visita de Narcélio, que veio do Ceará, e nos encontramos para almoçar!

Inscrições abertas para o State of the Map Latam 2016

Posted by wille on 1 September 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

logo SotM Latam 2016

Em Setembro de 2015, mapeadores e usuários do OpenStreetMap (OSM) se reuniram em Santiago do Chile para três dias de palestras e debates sobre os mais diversos temas relacionados ao projeto. Com a participação de cerca de 150 pessoas, nascia o State of the Map Latam, a conferência latino-americana da comunidade OpenStreetMap.

Este ano é a vez de São Paulo sediar o evento, o qual ocorrerá entre os dias 25 e 27 de novembro. O objetivo é o mesmo da primeira edição: reunir as pessoas envolvidas com o OSM em toda a América Latina, além de empresas e instituições governamentais. A comunidade brasileira é uma das maiores do continente, sendo assim esperado um grande público para a conferência.

A programação será composta por palestras, workshops, grupos de trabalho e de uma maratona de mapeamento, atividade na qual os colaboradores focam em melhorar o mapeamento de algum local ou de um aspecto específico do mapa.

As inscrições para o State of the Map Latam são gratuitas e podem ser realizadas pelo site http://state.osmlatam.org/pt/. Além disso, a chamada de trabalhos está aberta até o dia 25 de Setembro.

Location: República, São Paulo, Microrregião de São Paulo, Região Metropolitana de São Paulo, Mesorregião Metropolitana de São Paulo, São Paulo, Região Sudeste, 01038-100, Brasil

Endereços do Distrito Federal

Posted by wille on 9 August 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Recentemente, o IBGE publicou os dados das Faces de Logradouros de todo o Brasil em formato vetorial. Esse dataset traz basicamente os dados dos nomes de ruas separados por quarteirão e está disponível no servidor FTP do IBGE. O Distrito Federal, porém, não tem nomes de ruas, mas sim uma identificação de endereços por quadras, blocos, conjuntos e/ou lotes.

Boa parte desses dados já estão nas camadas de TMS IBGE Setores Urbanos e Rurais gerada há alguns anos pelo Thiago Santos a partir dos PDFs que o IBGE havia disponibilizado. Entretanto esta camada tem alguns problemas, como alinhamento errado em alguns locais e algumas áreas faltantes, o que impede que alguns elementos sejam mapeados.

Assim, gerei uma camada TMS utilizando o Mapbox Studio com todos os dados do Distrito Federal para facilitar o mapeamento desses locais.

Esplanada dos Ministérios em Brasília

Super quadra da Asa Norte

Para utilizar a camada, utilize a seguinte URL:

https://api.mapbox.com/styles/v1/wille/cirnnxni1000jg8nfppc8g7pm/tiles/256/{z}/{x}/{y}?access_token=pk.eyJ1Ijoid2lsbGUiLCJhIjoicFNVWk5VWSJ9.hluCd0YGvYHNlFi_utWe2g

ALTERAÇÃO 10/09/2016: Fiz uma atualização da camada removendo a imagem de satélite da Mapbox, para assim permitir que essa camada seja sobreposta a qualquer outro TMS de imagem de satélite. A camada já está disponível no iD e no JOSM.

Location: Setor Bancário Sul, Brasília, Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno, Distrito Federal, Região Centro-Oeste, 70070-120, Brasil

Votação de tradução highway=unclassified (pt-br)

Posted by wille on 2 August 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Qual tradução você prefere para a tag highway=unclassified?

  • 1 Via local não residencial
  • 2 Via de menor importância
  • 3 Via Vicinal
  • 4 Via Vicinal (rural ou urbana)
  • 5 Via Local
  • 6 Via Local ou Estrada Vicinal
  • 7 Via Local (rural ou urbana)

Fim da votação: 07/08/2016 - 23:59. Caso mude de ideia, vote novamente, apenas seu último voto será computado.

Rio Olympics Mapathon

Posted by wille on 20 June 2016 in English (English)

Rio 2016 logo

The 2016 Olympic Games are going to start in August 5th in the city of Rio de Janeiro, so it's time to improve the map!

Rio is one of the best mapped cities in Brazil, but we need a lot more detail in some areas. There are a lot of Mapillary photos we can use to gather details, OSM Inspector alerts to fix and some suburbs that needs a better map.

So we scheduled a weekend to improve the map of Rio and everyone can help! We've set up a project in Tasking Manager to avoid editing conflicts. Mapbox will publish fresh imagery and Nighto is going to take some pictures of the Olympic venues with Mapillary. We will be online at the IRC #osm-br channel to chat and coordinate the actions.

See all the details in the wiki page and collaborate with us!

Location: Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Southeast Region, Brazil

Encontro OSM Brasília - Junho/2016

Posted by wille on 29 May 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Parque Águas Claras

No próximo domingo, 5 de Junho, teremos mais um encontro da comunidade OpenStreetMap de Brasília! Dessa vez, iremos explorar o Parque Ecológico Águas Claras, mapear e conversar sobre mapas. O ponto de encontro será na Lanchonete Girasol, localizada dentro do parque, perto do posto da Polícia Militar.

Nosso encontros são abertos para qualquer pessoa interessada em aprender sobre OpenStreetMap. Não é necessário ter nenhum conhecimento para participar. Saiba como foi nosso último encontro.

Se você se interessou, é só aparecer lá no parque no dia 5 de Junho às 16h.

Agora temos um grupo no Telegram do OSM Brasília, para fazer parte, acesse: http://telegram.me/osmbsb

OpenStreetMap in CubaConf 2016

Posted by wille on 16 May 2016 in English (English)

I attended the CubaConf 2016 - the first international free software conference of Cuba, which took place in Havana. It was amazing to be part of this event and share knowledge about OpenStreetMap with Cuban people and with attendees that came from 17 countries around the world.

Flisol Havana

Our OpenStreetMap activities started two days before the CubaConf. On the Saturday, April 23, PB Echeverría, a experienced Cuban mapper and one of the organizers of CubaConf, gave a talk about OpenStreetMap in the FLISOL (a free software event that happens every year in a lot of cities in all Latin America).

Bicycle mapathon

In the following day, we had a Bike Mapathon. PB, Mauricio Miranda (OSM Argentina), Julio May (OSM Costa Rica), me and some other Cubans and Colombians took bicycles to ride around the El Vedado to map points of interest and make photos for Mapillary.

Orkut Murat

Monday was the first day of CubaConf, although we didn't have activities about OSM, I could meet Laura Barroso. She is the translator of WeeklyOSM to Spanish and is a software developer as well. I also could meet Orkut Murat, a Turkish OSM mapper. Orkut gave a talk about GNU Milion, a drupal extension he is developing to manage GIS data in Drupal.

OSM in CubaConf - Wille presentando y Julio haciendo tradución para Inglés

In the second day of the conference, we had three talks about OSM. I started the session presenting an introduction to OpenStreetMap and showed some projects of the Latin America communities. Ivan Terceros showed the efforts to map Ecuador after the Earthquake. Finally, Julio May talked about how OSM is being used in Costa Rica to map areas that are in risk of flooding.

OSM in CubaConf - Wille (Brasil), Ivan (Ecuador), Mauricio (Argentina) y Julio May (Costa Rica)

To finish our OSM activities, we had a Mapping Workshop in the last day. Due to the restrictions in the internet access in Cuba, we didn't have internet in the place of the Event, so it was an offline workshop, but it worked very well. I prepared a lot of screenshots showing how to map using Maps.Me and OsmAnd. I also had the source code of iD editor in my computer, so I could run it offline and show the begginers guide that is included in iD. Furthermore we showed how to start mapping using JOSM: the main shortkeys, how to load photos, GPX files, etc. And we talked about FieldPapers as well!

You can see more photos of CubaConf on flickr.

Thanks Mapbox for sponsoring CubaConf!

Location: Colón, Havana, Centro Habana, Havana, 10100, Cuba

Relato do Encontro OSM Brasília - Abril/2016

Posted by wille on 10 April 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Encontro OSM Brasília, abril de 2016

No dia 3 de abril realizamos mais um encontro da comunidade OpenStreetMap Brasília. Esse foi, na minha opinião, o melhor evento que já realizamos. Já fizemos vários tipos de eventos, alguns apenas para bater um papo, outros para mapear e conversar... porém nosso último encontro foi um pouco diferente: além de mapear e conversar, exploramos locais que alguns de nós não conhecíamos e caminhamos bastante por uma área muito agradável de Brasília.

Quando sugeri realizarmos o encontro na Quadra Modelo de Brasília, eu tinha duas motivações: era uma área da cidade que eu ainda não conhecia e, apesar de não ser muito famosa, é um local que atrai alguns turistas. Assim, seria interessante melhorar o mapeamento dessa região.

Quadra modelo

Começamos nossa caminhada no Cine Brasília, fizemos uma primeira parada para mapear uma quadra comercial e depois continuamos a caminhada passando pela Igrejinha Nossa Senhora de Fátima (a primeira edificação de concreto da cidade), passamos por vários prédios residenciais ouvindo as explicações sobre a arquitetura e a história de Brasília contadas por Pedro. Fizemos algumas sequências de fotos para o Mapillary, conhecemos um pequeno lago que é um dos lugares mais visitados da quadra modelo, mapeamos alguns parques infantis e terminamos o encontro comendo uma fatia de pizza na Dom Bosco, uma das lanchonetes mais tradicionais de Brasília.

Devemos realizar mais um encontro no mês de Junho. Quem estiver em Brasília, está convidado a participar!

Provando a qualidade do OSM

Posted by wille on 27 March 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Costumo utilizar bastante o OpenStreetMap quando viajo ou sempre que vou em algum local novo, porém, como meu principal meio de transporte é a bicicleta e quando viajo geralmente caminho, pedalo ou uso transporte público, não tive muitas experiências de utilizar o OSM para planejar rotas de carro.

Esse fim de semana, recebi a visita de uma amiga e alugamos um carro aqui em Brasília. Como não gosto de dirigir, fiz a função de navegador, utilizando o aplicativo Maps.me. Vou descrever como foi a utilização do OpenStreetMap, o que deu certo e onde houve falhas.

Decidimos ir a Pirenópolis e tracei as rotas no OSRM, MapQuest, Maps.Me e Google Maps. Todos forneceram rotas diferentes! A rota do OSRM foi a melhor, pois utiliza mais a BR-060, que é duplicada. Tirei a dúvida perguntando a uma pessoa em Pirenópolis e ele me confirmou que prefere essa rota. O Google preferiu uma rota 20 Km menor, mas com um trecho bem menor de rodovias duplicadas. O Maps.Me foi o que forneceu a pior rota, passando por uma estrada de chão inclusive. O MapQuest roteou por duas rodovias estaduais não pavimentadas, mas esse erro talvez tenha sido causado pela classificação errônea de uma das rodovias como secundária (já corrigi!).

Antes de ir a Pirenópolis, também pesquisei sobre uma fazenda que oferece acesso a algumas cachoeiras, brunch e atividades de aventura. O local estava mapeado no Google Maps, mas não no OSM, porém o caminho até lá estava todo traçado, então foi fácil chegar. Esse é o tipo de informação que só vai estar no OSM se algum mapeador for até lá, enquanto que o Google pode obter a informação de várias formas (o streetview deles vai até a porta da fazenda, por exemplo).

No dia da viagem, depois de ir à fazenda, decidimos visitar uma cachoeira, pedimos informação a algumas pessoas e vi que o caminho até lá também estava traçado, porém sem a informação da cachoeira. Em relação às rotas dentro da cidade de Pirenópolis, todas que tracei no Maps.Me funcionaram muito bem. Apesar de nem todas as ruas da cidade estarem mapeadas com o nome, o centro da cidade estava bem mapeado inclusive com informações das vias de mão única. Fiz algumas sequências de fotos com o Mapillary, que me possibilitaram mapear alguns pontos de interesse quando voltei pra casa.

Em Brasília, tracei mais algumas rotas no Maps.Me para entrar e sair do Plano Piloto e algumas planejei eu mesmo apenas olhando o mapa. Só tive problemas para ir ao Museu do Catetinho, o qual eu não conhecia e que fica bem afastado do Plano Piloto.

Museu do Catetinho mapeado com alguns erros

Como se pode ver na imagem acima, o museu estava mapeado no OSM como um mirante e apenas com o nome de Catetinho. Então fiquei com muita dúvida se a localização estava correta. O trecho que está ligando o museu a algumas vias do lado direito do mapa não existe e isso gerou um erro no roteamento, o que me levou a consultar o Google Maps no meio da viagem.

Museu com mapeamento correto

Assim ficou o museu após as correções que eu fiz.

Essa foi uma boa experiência de utilização do OpenStreetMap! É interessante ver como as informações que colocamos no OSM podem ajudar outras pessoas e como podemos nos beneficiar dessa colaboração também. Nenhum mapa é perfeito. Há algumas semanas, tive prejuízo quando usava Uber porque o Google Maps oferecia dois endereços pro mesmo lugar e escolhi o errado! Acredito que o OpenStreetMap já tem qualidade pra ser utilizado em muitas regiões do país e podemos melhorar ainda mais mapeando com qualidade e conquistando novos colaboradores para o projeto.

Encontro OSM Brasília - Abril/2016

Posted by wille on 19 March 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Mapa da Quadra modelo

Depois de uns meses de férias, teremos mais um encontro da comunidade OpenStreetMap Brasília! Dessa vez, vamos nos reunir para mapear a Quadra Modelo. No projeto de Lúcio Costa, cada uma das quadras de Brasília deveria ter uma igreja, uma biblioteca, um cinema, um clube e uma escola, além de uma área comercial. A Quadra Modelo é a única que foi executada como planejado, por isso recebeu esse nome.

Assim, vamos nos reunir para melhorar o mapeamento desse ícone de Brasília, conversar sobre mapas, fazer fotos para o Mapillary e nos divertir. O ponto de encontro será em frente ao Cine Brasília. Nos encontraremos lá no dia 3 de Abril às 16h.

ATENÇÃO: O evento seria no dia 2, sábado, mas alteramos para o dia 3 de Abril, domingo.

Improve OSM no Brasil

Posted by wille on 15 March 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

A Telenav, empresa de navegadores automotivos que tem trabalhado com dados do OpenStreetMap, lançou há alguns meses o Improve OSM, uma ferramenta que analisa os dados GPS gerados pelos veículos que utilizam os navegadores da Telenav e aponta onde há vias ainda não mapeadas no OSM.

Trabalhei com o Ministério do Meio Ambiente, o qual possui veículos circulando em todo o Brasil, e consegui a liberação dos dados para utilizar no Improve OSM. Assim podemos saber de forma fácil onde há vias que necessitam ser mapeadas em todo o Brasil. Boa parte dos alertas no Brasil são em zonas rurais, inclusive temos muitos dados na Amazônia e no interior do Nordeste.

Heat map

Acredito que estes alertas de vias não mapeadas irá colaborar bastante para alcançarmos uma maior cobertura do OSM em todo o Brasil. Para mapear rodovias e estradas, atente para o padrão recomendado pela comunidade brasileira:

Como utilizar o Improve OSM

Acesse http://improve-osm.org e clique no link Login with OSM no canto superior direito, assim você poderar logar no site utilizando sua conta do OSM. Depois de logado, dê zoom em uma área no mapa até aparecer um quadrado que indica um alerta de via não mapeada.

map after zoom

Clicando no quadrado, aparecerá uma janela de diálogo, clique no botão Edit in OSM.org para abrir o editor iD em uma nova aba ou em Edit in JOSM para editar no JOSM. Com isso, o iD ou o JOSM irão carregar a área do alerta para edição.

dialog

Faça o mapeamento da via e, quando finalizar, volte ao Improve OSM e clique no botão Edit, escolha a opção Solved para indicar que o alerta foi mapeado e clique no botão Send para registrar sua edição.

after edit

Utilizando apenas o JOSM

Quem preferir, pode instalar o plugin ImproveOsm no JOSM. Após instalado, para utilizar o plugin, adicione primeiro uma camada de imagem de satélite (Bing ou Mapbox, por exemplo). Depois clique em um ícone com um "S" na barra de ferramentas do lado esquerdo. Ao clicar nesse ícone, serão adicionadas algumas camadas ao mapa que mostram os alertas de vias não mapeadas:

JOSM - first step

Então basta dar zoom no mapa até um nível que você vai ver uns quadrados apontando uma via não mapeada. Mapeie a via, sempre conectando-a a alguma outra e, após salvar a edição, selecione os quadrados dos alertas que você resolveu e clique no ícone de um cadeado verde (aba ImproveOsm, veja no lado inferior direito na imagem abaixo). Assim, você irá marcar estes alertas como resolvidos.

JOSM - second step

Bom mapeamento!