OpenStreetMap

Diary Entries in Brazilian Portuguese

Recent diary entries

Editando o OSM.

Posted by raphaelmirc on 26 June 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Hoje eu editei as ruas do bairro de três carneiros alto e baixo, editei também as ruas do bairro de vitoria de santo antão/PE, adicionei agencia bancarias, campo de futebol e edifícios.

Hoje tive a ajuda do amigo Erick na edição do bairro de Três Carneiros Baixo.

Uma ótima diversão para quem gosta de mapas, edições e colaborar com o projeto do OSM.

Para se cadastrar e editar, acesse o site e faça o seu cadastro no link abaixo; www.openstreetmap.org

Um Forte Abraço. Atenciosamente,

Raphael de Assis.

Location: Centro, Vitória de Santo Antão, Microrregião de Vitória de Santo Antão, Mesorregião da Mata Pernambucana, Pernambuco, Região Nordeste, Brasil

Terra do Meio - São Félix do Xingu

Posted by ElementoGEO on 23 June 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Editando Mapas sem Parar!!

Posted by raphaelmirc on 18 June 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Desde ontem e hoje que venho editando o mapa sem parar, quero contribuir o máximo possível para que o meu bairro fique todo mapeado e depois seguir por todo mapa mapeando tudo que ver pela frente,casa, ruas e objetos.

Para ver o meu bairro acesse o link abaixo. http://www.openstreetmap.org/?mlat=-8.12588&mlon=-34.95669#map=17/-8.12588/-34.95669

Para editar o Mapa faça o cadastro no Site do Projeto, http://www.openstreetmap.org

Espero poder contribuir para que o projeto OpenStreetMap siga com seus Objetivos!!

Valeu,

Raphael. Recife/PE.

Location: Cohab, Recife, Microrregião de Recife, Região Metropolitana de Recife, Mesorregião Metropolitana de Recife, Pernambuco, Região Nordeste, Brasil

Teete1

Posted by ccac on 17 June 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

O que é isso?

Location: Álvaro Weyne, Fortaleza, Microrregião de Fortaleza, Mesorregião Metropolitana de Fortaleza, Ceará, Região Nordeste, 60455001, Brasil

Criando Ruas nos Bairros de Três Carneiros Baixo e Três Carneiros Alto e delimitando Áreas residencias dos Bairros.

Posted by raphaelmirc on 16 June 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Ontem comecei a adicionar novas ruas nos bairros de três Carneiros Baixo e Alto e hoje estou delimitando os limites de cada bairro em suas áreas residenciais, todos os Bairros pertence a Cohab, conforme cadastro na prefeitura do Recife.

Location: Cohab, Recife, Microrregião de Recife, Região Metropolitana de Recife, Mesorregião Metropolitana de Recife, Pernambuco, Região Nordeste, Brasil

Colocando Nomes nas Ruas e Avenidas dos Bairros da Cohab /Ibura Alto e Baixo e Bairros Vizinhos!

Posted by raphaelmirc on 13 June 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)
  Estou adcionando nomes nas Ruas dos Bairros da Cohab e do Ibura de Baixo e Alto, Já existem ruas com nomes, mais muitas delas ainda não existem endereços ou simplesmente não existem no mapa, como escolas, postos de saudes, igrejas, pontes e escadarias também não existem no mapa, por isso estou aqui editando o mapa do bairro da cohab e atualizando o mesmo com informações atualizadas. 

 quem quiser contribuir com esse trabalho e so enviar mensagem na lista de e-mail e se juntar ao grupo para editarmos o bairro da Cohab e outros bairros existente no Mapa. 

 creio que dentro de alguns dias muitas informações serão adicionadas ao Mapa da Cohab/Ibura em Recife e espero poder contribuir para esse grande Projeto Mundial do Openstreetmap.

att;;

Raphael de Assis. Bairro: Cohab/Ibura. Recife/PE.

Location: Cohab, Recife, Microrregião de Recife, Região Metropolitana de Recife, Mesorregião Metropolitana de Recife, Pernambuco, Região Nordeste, Brasil

Como arrumar bairros (suburb) erroneamente classificados como hamlet

Posted by naoliv on 6 June 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Estava pensando em algumas ideias utilizando o QGIS e trabalhando com os place do estado de SP, quando olho os place=hamlet e reparo que existem algumas aglomerações estranhas:

Por exemplo, em Assis: Assis

Bauru: Bauru

Osasco: Osasco

Sertãozinho: Sertãozinho

Me veio na cabeça que esses locais, muito provavelmente, deveriam ser bairros e não hamlets.

Olhar 745 hamlets, um por um, é algo trabalhoso de se fazer; mas pensei em algo que acabou dando certo (e detalho abaixo).

Minha lógica para tentar achar os locais errados foi: criar uma área ao redor de cada ponto, unindo as áreas que que se interceptam e contar o número de place dentro de cada área.
Se for maior que 1, então verifico manualmente para ver se é bairro ou não.

Primeiro obtendo os dados, através do plugin QuickOSM no QGIS (ou exportando como um geojson no próprio overpass, por exemplo; a consulta vai ser a mesma):

[out:json];
{{geocodeArea:são paulo, brasil}}->.searchArea;
(
  node["place"="hamlet"](area.searchArea);
);
out body;
>;
out skel qt;

Os dados estão em EPSG:4326 mas converti para EPSG:3395 (mesma projeção padrão do JOSM, apenas para calcular algumas áreas logo após).

Com os locais já projetados criei um buffer de 1000m, dissolvendo os resultados, através de Vetor → Ferramentas de Geoprocessamento → Buffer

A área do buffer, apesar de possuir várias partes, acaba sendo um objeto só (que não serve para o cálculo de objetos dentro de cada área que preciso fazer).
Então separo as áreas distintas através de Vetor → Geometrias → Multiparte para partes simples

No fim temos vários polígonos dessa forma:

Como o raio utilizado no buffer foi de 1000m, dentro de um mesmo polígono teremos objetos distantes a no máximo 2000m entre si (que acho um valor razoável como distância entre bairros).

A contagem de objetos dentro de cada um desses polígonos pode ser feita através de Vetor → Analisar → Pontos no polígono, utilizando o método soma

Ele gera uma nova camada com um atributo contendo a contagem.

Filtrando as áreas com valor > 1 temos 22 regiões potenciais.

Para selecionar os locais dentro dessas áreas (que é o que interessa) dá para efetuar uma consulta espacial através de Vetor → Consulta Espacial → Consulta Espacial

Queremos selecionar as feições da camada de place sempre que a feição interceptar a camada filtrada.

O resultado são 246 objetos selecionados, que exporto para CSV:

X,Y,full_id,osm_id,population,name,place
-50.094927,-22.111716,n368262779,368262779,,Colônia Nova,hamlet
-50.0935428,-22.122513699999,n368262783,368262783,,Colônia da Usina Paredão,hamlet
-48.605132,-22.225059,n368262852,368262852,,Pouso Alegre de Baixo,hamlet
-48.118025,-20.950358,n368262978,368262978,,Usina Barbacena,hamlet
(…)

Como a única informação importante para este caso é o id do objeto, eu o separo com magia negra:

fgrep hamlet saida.csv | awk -F , '{print $3}' | sort | sed ':a;N;$!ba;s/\n/ /g'

Que me retorna os objetos numa forma fácil de abrir no JOSM:

n1443265134 n1443267306 n1443267309 n1560596774 (…) n4028586019 n4163372418 n4165851984

Já no JOSM, para baixar apenas esses objetos utilizamos Arquivo → Baixar objeto, com o tipo de objeto sendo ou misturado e colamos a linha inteira no campo ID do objeto

Não dá para simplesmente substituir hamlet por suburb em todos os objetos porque alguns são realmente hamlet, por exemplo. É praticamente trabalho manual de verificar tudo.

No fim tinha nó duplicado, praça representada de forma errada e outras coisas.
Dos 246 nós com place=hamlet, 232 (94.3%) estavam realmente errados (e fiquei muito satisfeito com o resultado do processo).

Encontro OSM Brasília - Junho/2016

Posted by wille on 29 May 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Parque Águas Claras

No próximo domingo, 5 de Junho, teremos mais um encontro da comunidade OpenStreetMap de Brasília! Dessa vez, iremos explorar o Parque Ecológico Águas Claras, mapear e conversar sobre mapas. O ponto de encontro será na Lanchonete Girasol, localizada dentro do parque, perto do posto da Polícia Militar.

Nosso encontros são abertos para qualquer pessoa interessada em aprender sobre OpenStreetMap. Não é necessário ter nenhum conhecimento para participar. Saiba como foi nosso último encontro.

Se você se interessou, é só aparecer lá no parque no dia 5 de Junho às 16h.

Agora temos um grupo no Telegram do OSM Brasília, para fazer parte, acesse: http://telegram.me/osmbsb

Adção de clínicas

Posted by Marcos_BR on 20 May 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Adição de clínicas de Otorrinolaringologia. Percebi que várias clínicas ainda não estão no mapa. Justamente quando procurei por uma. Então iniciarei o mapeamento delas.

Atualizações para o bairro Bom Jesus

Posted by Marcos_BR on 18 May 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Adição de ruas, paradas de ônibus. Atualização no mapa do Conj. Teotônio Vilela - Bom Jesus. Localização: -5,4983159, -47,436298

Location: Bom Jesus, Imperatriz, Microrregião de Imperatriz, Mesorregião Oeste Maranhense, Maranhão, Região Nordeste, Brasil

TCC sobre Plataforma de mapeamento Gratuita: Seus Benefícios e diferenças.

Posted by Gleyson Jarder on 9 May 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Tcc com vista a analisar a possibilidade de uso em repartições públicas de menor porte, o uso de plataformas gratuitas para fim de Criar, estruturar e manter uma cartografia sem grandes custos para a administração municipal de pequeno porte.

Location: Avenida Josípio Lustosa, Teresina, Microrregião de Teresina, Região Integrada de Desenvolvimento da Grande Teresina, Mesorregião Centro-Norte Piauiense, Piauí, Região Nordeste, 64010350, Brasil

Compartilhando OSM

Posted by edilqueirozdearaujo on 5 May 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

No dia 12 e 14 de abril foi dia de visitar a Escola Ferreira dos Matos, aproveitando o convite e espaço para falar um pouco sobre esse mapa tão importante que é o OpenStreetMap, e que este por suas características é ideal para educação. Foi apresentada a tecnologia e algumas de suas possibilidades. Saiba mais foto...

Location: Ferreira, Ribeirão Grande, Microrregião de Capão Bonito, Mesorregião de Itapetininga, São Paulo, Região Sudeste, Brasil

Cidades Brasileiras Não Mapeadas

Posted by LucFreitas on 28 April 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Ao fazer algumas edições pelo interior do Brasil, pude perceber a grande quantidade de cidades e outros agrupamentos urbanos que ainda não possuem informações na base de dados do OpenStreetMap, mostrando apenas a relação de seus limites, importada anteriormente do IBGE. Alguns outros, possuem alguns elementos dentro do território municipal como rios, ferrovias ou rodovias federais, mas o núcleo urbano está completamente vazio. Até mesmo cidades de importância regional infelizmente ainda se encontram nessa situação, como era até recentemente o caso de Quixeramobim com seus 75.565 habitantes no interior do Ceará, por exemplo.

Pensando em uma forma de localizar estes casos, cheguei à conclusão de que poderia interseccionar os dados das vias residenciais com os limites municipais, chegando assim a resposta desejada.

Vias Residenciais

A escolha das vias residenciais (residential), se deu por ela ser a menor classificação hierárquica de uma via para veículos motores em um ajuntamento urbano, e também por oferecer uma maior abrangência, o que não aconteceria se fossem utilizadas vias minoritárias (unclassified) ou terciárias (tertiary), que já poderiam estar mapeadas.

Em algumas raras situações, em agrupamentos muito pequenos e lineares ao redor de uma via de maior classificação, não encontramos vias residenciais, mas este não é o caso. Todo município, por sua complexidade administrativa e organização territorial, possivelmente possui mais de uma via em seu território.

Fazendo a análise

O primeiro passo é a obtenção dos dados para a análise. Nesta tarefa, utilizei os extratos regulares do Geofabrik para o Brasil. O arquivo zipado oferece sete arquivos shapefile, cada um abrangendo um grupo de feições. Abri a camada Roads (rodovias) no QGIS e solicitei a divisão dos tipos de vias, criando um shapefile que continha apenas as feições das vias residenciais.

Realizei também uma consulta ao overpass Turbo que obtém todas as relações dos municípios em território nacional. Exportei para o QGIS e converti os polígonos em shapefile para agilizar o processo.

Sobreposição das ruas residenciais sobre o território dos municípios brasileiros

Basta agora solicitar uma Consulta Espacial no QGIS (localizada em Vetor > Consulta Espacial) e configurar para que: sempre que a camada de municípios contiver uma feição da camada de vias residenciais ele criar uma seleção.

Após a conclusão da análise, o QGIS vai selecionar todos os polígonos de municípios que contem vias residenciais em seu território. Excluí estas feições selecionadas para deixar apenas os municípios que não continham vias residenciais e salvei o shapefile.

O último passo é abrir a Tabela de Atributos da camada dos municípios e copiar os dados para uma planilha, para ter uma relação completa dos municípios que possuem mapeamento deficitário na base do OpenStreetMap.

Resultados

Após filtrar as planilhas, mantendo apenas os dados relevantes, pude adicionar estes dados na Wiki, para que a comunidade possa usar esta relação de municípios.

Dentre os 5.570 municípios brasileiros, um total de 420 foram encontrados sem ruas residenciais em seu território, o que denuncia falhas no mapa a serem corrigidas. Algumas vezes todas as vias foram classificadas como minoritárias (unclassified) e na grande maioria dos casos, o município realmente não possui qualquer tipo de dados. Mesmo que o Mapbox cubra algumas das áreas onde o Bing não está disponível, infelizmente alguns municípios ainda não possuem quaisquer tipos de imagens aéreas disponíveis, contando apenas com as camadas de vias do IBGE.

A tabela com os resultados pode ser vista aqui, na Wiki do projeto. Essa tabela separa os municípios por Unidade Federativa e os organiza de acordo com sua população (extraída dos dados do OpenStreetMap), e também contém um link da área que leva para o mapa principal do OSM.

A planilha original, em formato XLSX, pode ser vista aqui, no Dropbox.

Mapa de calor mostrando a localização dos municípios no Território Nacional

Nomeação de ruas em Santo Antônio do Amparo (MG)

Posted by AURELIO DANILO on 26 April 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Acho que no mês Passado eu havia mapeado esta localidade e colocado nomes em quase todas as ruas. Agora fui verificar e a nomeação das ruas sumiram ? Houve algum erro ou nomeação inadequada em minha contribuição ? Também havia colocado alguns POIs , igrejas , e o hospital universitário ( que é ponto de referência aqui na região. ) e eles não constam mais.

Aguardo retorno da observação mencionada

Att

Aurélio Danilo

Desenvolvimento de marcações na parte baixa da Bacia Hidrográfica do Rio Jacaraípe

Posted by Patrícia Silva Leal Coelho on 17 April 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Mapeamento utilizando OSM, Arc Gis 10.1, e aplicativo GPS Essentials. Trajeto realizado por um grupo de estudantes da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Jacaraípe. Preteritamente os estudantes analisaram as àreas, utilizando o catálogo de imagens disponível em www.veracidade.com (hiparc). Durante o trajeto utilizou-se o aplicativo de celular. A área escolhida é um córrego chamado Córrego das Laranjeiras, localizado na Grande Jacaraípe, no município da Serra, no Espírito Santo.

Imgur

Rota de ônibus

Posted by dclarks on 12 April 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Relato do Encontro OSM Brasília - Abril/2016

Posted by wille on 10 April 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Encontro OSM Brasília, abril de 2016

No dia 3 de abril realizamos mais um encontro da comunidade OpenStreetMap Brasília. Esse foi, na minha opinião, o melhor evento que já realizamos. Já fizemos vários tipos de eventos, alguns apenas para bater um papo, outros para mapear e conversar... porém nosso último encontro foi um pouco diferente: além de mapear e conversar, exploramos locais que alguns de nós não conhecíamos e caminhamos bastante por uma área muito agradável de Brasília.

Quando sugeri realizarmos o encontro na Quadra Modelo de Brasília, eu tinha duas motivações: era uma área da cidade que eu ainda não conhecia e, apesar de não ser muito famosa, é um local que atrai alguns turistas. Assim, seria interessante melhorar o mapeamento dessa região.

Quadra modelo

Começamos nossa caminhada no Cine Brasília, fizemos uma primeira parada para mapear uma quadra comercial e depois continuamos a caminhada passando pela Igrejinha Nossa Senhora de Fátima (a primeira edificação de concreto da cidade), passamos por vários prédios residenciais ouvindo as explicações sobre a arquitetura e a história de Brasília contadas por Pedro. Fizemos algumas sequências de fotos para o Mapillary, conhecemos um pequeno lago que é um dos lugares mais visitados da quadra modelo, mapeamos alguns parques infantis e terminamos o encontro comendo uma fatia de pizza na Dom Bosco, uma das lanchonetes mais tradicionais de Brasília.

Devemos realizar mais um encontro no mês de Junho. Quem estiver em Brasília, está convidado a participar!

Provando a qualidade do OSM

Posted by wille on 27 March 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Costumo utilizar bastante o OpenStreetMap quando viajo ou sempre que vou em algum local novo, porém, como meu principal meio de transporte é a bicicleta e quando viajo geralmente caminho, pedalo ou uso transporte público, não tive muitas experiências de utilizar o OSM para planejar rotas de carro.

Esse fim de semana, recebi a visita de uma amiga e alugamos um carro aqui em Brasília. Como não gosto de dirigir, fiz a função de navegador, utilizando o aplicativo Maps.me. Vou descrever como foi a utilização do OpenStreetMap, o que deu certo e onde houve falhas.

Decidimos ir a Pirenópolis e tracei as rotas no OSRM, MapQuest, Maps.Me e Google Maps. Todos forneceram rotas diferentes! A rota do OSRM foi a melhor, pois utiliza mais a BR-060, que é duplicada. Tirei a dúvida perguntando a uma pessoa em Pirenópolis e ele me confirmou que prefere essa rota. O Google preferiu uma rota 20 Km menor, mas com um trecho bem menor de rodovias duplicadas. O Maps.Me foi o que forneceu a pior rota, passando por uma estrada de chão inclusive. O MapQuest roteou por duas rodovias estaduais não pavimentadas, mas esse erro talvez tenha sido causado pela classificação errônea de uma das rodovias como secundária (já corrigi!).

Antes de ir a Pirenópolis, também pesquisei sobre uma fazenda que oferece acesso a algumas cachoeiras, brunch e atividades de aventura. O local estava mapeado no Google Maps, mas não no OSM, porém o caminho até lá estava todo traçado, então foi fácil chegar. Esse é o tipo de informação que só vai estar no OSM se algum mapeador for até lá, enquanto que o Google pode obter a informação de várias formas (o streetview deles vai até a porta da fazenda, por exemplo).

No dia da viagem, depois de ir à fazenda, decidimos visitar uma cachoeira, pedimos informação a algumas pessoas e vi que o caminho até lá também estava traçado, porém sem a informação da cachoeira. Em relação às rotas dentro da cidade de Pirenópolis, todas que tracei no Maps.Me funcionaram muito bem. Apesar de nem todas as ruas da cidade estarem mapeadas com o nome, o centro da cidade estava bem mapeado inclusive com informações das vias de mão única. Fiz algumas sequências de fotos com o Mapillary, que me possibilitaram mapear alguns pontos de interesse quando voltei pra casa.

Em Brasília, tracei mais algumas rotas no Maps.Me para entrar e sair do Plano Piloto e algumas planejei eu mesmo apenas olhando o mapa. Só tive problemas para ir ao Museu do Catetinho, o qual eu não conhecia e que fica bem afastado do Plano Piloto.

Museu do Catetinho mapeado com alguns erros

Como se pode ver na imagem acima, o museu estava mapeado no OSM como um mirante e apenas com o nome de Catetinho. Então fiquei com muita dúvida se a localização estava correta. O trecho que está ligando o museu a algumas vias do lado direito do mapa não existe e isso gerou um erro no roteamento, o que me levou a consultar o Google Maps no meio da viagem.

Museu com mapeamento correto

Assim ficou o museu após as correções que eu fiz.

Essa foi uma boa experiência de utilização do OpenStreetMap! É interessante ver como as informações que colocamos no OSM podem ajudar outras pessoas e como podemos nos beneficiar dessa colaboração também. Nenhum mapa é perfeito. Há algumas semanas, tive prejuízo quando usava Uber porque o Google Maps oferecia dois endereços pro mesmo lugar e escolhi o errado! Acredito que o OpenStreetMap já tem qualidade pra ser utilizado em muitas regiões do país e podemos melhorar ainda mais mapeando com qualidade e conquistando novos colaboradores para o projeto.

Alunos em aula de campo - projeto de mapeamento Grande Jacaraípe

Posted by Patrícia Silva Leal Coelho on 25 March 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Estudantes desenvolvendo o uso de mapeamentos colaborativos através do uso de diversas ferramentas para depois inserir todas as informações coletadas no OSM. Bairro Lagoa, Jacaraípe, Serra, ES, Brasil. Parceria entre a Escola Jacaraípe e a UFES. Imgur

Encontro OSM Brasília - Abril/2016

Posted by wille on 19 March 2016 in Brazilian Portuguese (Português do Brasil)

Mapa da Quadra modelo

Depois de uns meses de férias, teremos mais um encontro da comunidade OpenStreetMap Brasília! Dessa vez, vamos nos reunir para mapear a Quadra Modelo. No projeto de Lúcio Costa, cada uma das quadras de Brasília deveria ter uma igreja, uma biblioteca, um cinema, um clube e uma escola, além de uma área comercial. A Quadra Modelo é a única que foi executada como planejado, por isso recebeu esse nome.

Assim, vamos nos reunir para melhorar o mapeamento desse ícone de Brasília, conversar sobre mapas, fazer fotos para o Mapillary e nos divertir. O ponto de encontro será em frente ao Cine Brasília. Nos encontraremos lá no dia 3 de Abril às 16h.

ATENÇÃO: O evento seria no dia 2, sábado, mas alteramos para o dia 3 de Abril, domingo.

Older Entries | Newer Entries